Login: Senha: Esqueceu
sua senha?
   Pós-Graduações
   Workshops

Parceiros

   Redes Sociais

Pós-Graduação em MEDICINA DO TRABALHO com aula inaugural explicativa.

Novas turmas.
 
Matricule-se ou faça a pré-reserva de sua vaga AGORA, basta clicar aqui >> www.cenbrap.com.br/curso.asp
 
O CENBRAP - Centro Brasileiro de Pós-Graduações, é uma empresa que presta serviços para renomadas Instituições de Ensino Superior (IES), ajudando-as na operacionalização de cursos de educação médica continuada na forma pós-graduações Lato Sensu (em sintonia com a Resolução n. 01  de 08/06/2007 do MEC/CNE/CES).
 
O CENBRAP incentiva a educação médica continuada de qualidade, por isso conta com grandes nomes da docência nacional. Confira as datas de início das novas turmas de Pós-Graduação Lato Sensu em MEDICINA DO TRABALHO  (que já vale como primeira aula do curso):
 
- Belo Horizonte/MG (Turma 3): turma já em andamento. Início: 01 e 02 de outubro de 2011 VAGAS ESGOTADAS.
 
- São Paulo/SP (Turma 1): turma já em andamento. Início: 15 e 16 de outubro de 2011 VAGAS ESGOTADAS.
 
- Goiânia/GO (Turma 4): turma já em andamento. Início: 19 e 20 de novembro de 2011 - VAGAS ESGOTADAS.
 
- Brasília/DF (Turma 3): turma já em andamento. Início: 10 e 11 de dezembro de 2011 - VAGAS ESGOTADAS.
 
- Rio de Janeiro/RJ (Turma 1): turma já em andamento. Início: 04 e 05 de fevereiro de 2012 - ÚLTIMAS VAGAS.
  
- Ribeirão Preto/SP (Turma 1): previsão de início: 14 e 15 de abril de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.

- Campo Grande/MS (Turma 1):
previsão de início: 21 e 22 de abril de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.
 
- Campinas/SP (Turma 1): previsão de início: 28 e 29 de abril de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.
 
- Belo Horizonte/MG (Turma 4): previsão de início: 05 e 06 de maio de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.
 
- Recife/PE (Turma 1): previsão de início: 05 e 06 de maio de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.
 
- Uberlândia/MG (Turma 3): previsão de início: 19 e 20 de maio de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.
 
- Belém/PA (Turma 2): previsão de início: 26 e 27 de maio de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.

- Londrina/PR (Turma 1):
previsão de início: 02 e 03 de junho de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.

- Manaus/AM (Turma 1): previsão de início: 02 de 03 de junho de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.

- Porto Alegre/RS (Turma 1):
previsão de início: 02 e 03 de junho de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.

- Vitória/ES (Turma 1):
previsão de início: 16 e 17 de junho de 2012 - MATRÍCULAS ABERTAS.
 
- Juiz de Fora/MG (Turma 1): previsão de início: 18 e 19 de agosto de 2012 - PRÉ-RESERVAS ABERTAS.
 
- Fortaleza/CE (Turma 1): previsão de início: 25 e 26 de agosto de 2012 - PRÉ-RESERVAS ABERTAS.
 
*Matricule-se ou faça a pré-reserva de sua vaga AGORA, basta clicar aqui >> www.cenbrap.com.br/curso.asp



Aula inaugural explicativa.
 
A MEDICINA DO TRABALHO se tornou especialidade médica por meio da Resolução n. 1.634 do Conselho Federal de Medicina (CFM), de 11 de abril de 2002. Desde então, os cursos de Pós-Graduação em MEDICINA DO TRABALHO passaram a ser vistos de forma duvidosa pelos médicos brasileiros.
 
Com o intuito de oferecer uma educação médica continuada de qualidade, nosso curso de MEDICINA DO TRABALHO foi sensível a essa questão, e trouxe um enorme diferencial: a primeira aula terá como disciplina “Legislação do Trabalho Aplicada à Medicina do Trabalho”. Essa aula, além da ministração de outros tópicos importantes, visa sanar todas as dúvidas que ainda pairam sobre a legalidade do curso de Pós-Graduação em MEDICINA DO TRABALHO, atuação profissional do médico dentro da saúde ocupacional, pré-requisitos para Prova de Título de Especialista conforme últimos editais expedidos pela ANAMT (Associação Nacional de Medicina do Trabalho), etc. 
 
Essa primeira aula não gera obrigação de continuar com o curso, apenas do pagamento de uma taxa de inscrição. “Trata-se de uma atitude de respeito e transparência que temos para com nosso público. O aluno só continuará com a pós-graduação caso se sinta à vontade e seguro para isso”, explica o Prof. Dr. Marcos Henrique Mendanha, Médico do Trabalho (ANAMT / AMB) e Advogado, especialista em Direito do Trabalho. As vagas do curso de pós-graduação em MEDICINA DO TRABALHO são limitadas. Terão direito preferencial às vagas da pós-graduação, aqueles médicos que se inscreveram e participaram da primeira aula explicativa.
 
 
 
Renomados Médicos do Trabalho são Professores do curso.
 
Sempre na busca por um melhor corpo docente na Pós-Graduação em Medicina do Trabalho, reunimos um elenco de renomados Médicos do Trabalho, entre os quais destacam-se:
 
- Dr. Duílio Antero de Camargo (SP): Médico especialista em Psiquiatra (ABP/AMB), Médico do Trabalho (ANAMT/AMB), Presidente da Comissão Técnica de Saúde Mental no Trabalho da ANAMT; Mestre em Psiquiatria pela UNICAMP, Médico do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Professor Colaborador e Membro Titular da UNICAMP.
 
- Dr. Eduardo Costa Sá (SP): Médico do Trabalho (ANAMT/AMB), Mestre em Ciências pela USP, com Área de Concentração em Saúde Ambiental e Linha de Pesquisa em Saúde do Trabalhador. Atua como: Médico do Trabalho no Serviço de Saúde Ocupacional (SSO) e é Membro Efetivo da Comissão de Ética Médica (CEM) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP); Supervisor Médico e Professor Convidado dos Cursos de Especialização em Medicina do Trabalho, de Medicina Legal e de Medicina do Tráfego da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Professor Convidado do Curso de Especialização de Perícias Médicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (FCMSCSP); Professor Convidado do Curso de Especialização de Engenharia de Segurança da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (EPUSP); Professor Convidado do Curso de Especialização em Ergonomia de Sistemas de Produção da Fundação Vanzolini em convênio com Universidade de São Paulo (USP); Vice Supervisor do Programa de Residência Médica em Medicina do Trabalho do Hospital das Clínicas da USP; Perito Médico Previdenciário do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

- Dr. João Baptista Opitz Neto (SP): Médico especialista em Medicina do Trabalho, Ergonomia e Medicina Legal. Perito Judicial / Assistente Técnico nas áreas trabalhista e previdenciária. Autor do livro "Perícia Médica Trabalhista" (Editora Rideel).
 
- Dr. João Silvestre da Silva Júnior  (SP): Médico do Trabalho (ANAMT/AMB), Coordenador Adjunto do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo/SP, Mestrando em Saúde Pública pela USP, Especialista em Direito Previdenciário pela Universidade Gama Filho, Perito Médico Previdenciário do INSS.
 
- Dr. Jorge Luiz Ramos Teixeira (RJ): Diretor Executivo da FUNDACENTRO / Ministério do Trabalho e Emprego. Médico do Trabalho (ANAMT/AMB) da Petrobrás-RJ. Atua no Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Foi superintendente de saúde e qualidade de vida no trabalho da Secretaria de Administração e Reestruturação do Governo do Estado do Rio de Janeiro. É coordenador do curso de Perícias Médicas do Centro Educacional São Camilo (RJ). É diretor-presidente do INQUALIT (Instituto Nacional de Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho).
 
- Dr. José Tarcísio Buschinelli (SP): Médico do Trabalho (ANAMT/AMB), Pesquisador da FUNDACENTRO, Professor de Medicina do Trabalho na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo - SP.
 
- Dr. Lenz Alberto Alves Cabral (MG): Médico do Trabalho (ANAMT/AMB), Membro da Comissão Científica de Ergonomia da ANAMT, Especialista em Ergonomia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, Professor de Medicina do Trabalho na FAMERP (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto), Coordenador do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) da Prefeitura de Municipal de Uberlândia/MG, Diretor da PROERGON - Assessoria e Consultoria em Segurança e Saúde do Trabalhador / Ergonomia.
 
- Dr. Marcos Henrique Mendanha (GO): Médico do Trabalho (ANAMT/AMB), Advogado especialista em Direito do Trabalho, Secretário da Sociedade Brasileira de Perícias Médicas - Regional Goiás. 
 
- Dr. Pablo Ferreira Bernardes (GO): Médico do Trabalho (ANAMT/AMB) do SESI-GO, Grupo Mabel, entre outras renomadas instituições.
 
- Dra. Rosa Amélia Andrade Dantas (SE): Mestre e Doutora em Saúde Pública pela UFBA. Especialista em Medicina do Trabalho (ANAMT/AMB), com área de atuação em Perícias Médicas (SBPM/AMB). Especialista em Avaliação de Ensino (UNB). Professora do Departamento de Medicina da UFSE, onde ministra disciplinas de graduação e pós-graduação em Medicina do Trabalho e em Perícias Médicas. Médica do trabalho em empresas publica e privada. Perita médica judicial na área cível e trabalhista. Conselheira do CRM-SE. Diretora Científica da Sociedade Brasileira de Perícias Médicas. Presidente da Sociedade Sergipana de Medicina do Trabalho, filiada à ANAMT.
 
O CENBRAP entende que, somente através do elevado nível do seu corpo docente é possível oferecer uma educação médica continuada de qualidade.
 
 
 
Presidente da ABERGO (Associação Brasileira de Ergonomia) fala para turma de Medicina do Trabalho de Goiânia/GO.
 
O Presidente da ABERGO (Associação Brasileira de Ergonomia), e da ULAERGO (União Latinoamericana de Ergonomia) Dr. José Orlando Gomes, Ergonomista, Mestre e Doutor em Engenharia de Produção pela UFRJ em parceria com o Conservatoire National des Arts et Métiers de Paris, proferiu uma palestra para os alunos da Turma de Medicina do Trabalho de Goiânia/GO. Assunto: Ergonomia e suas repercussões no mundo atual.
 
 
 
Professores do curso de Medicina do Trabalho fazem apresentações no XIV Congresso Nacional da ANAMT.
 
Alguns Professores da Pós-Graduação em Medicina do Trabalho fizeram apresentações durante o XIV Congresso Nacional da ANAMT, que ocorreu em Gramado/RS.
 
Prof. Dr. José Tarcísio Buschinelli (SP) falou sobre o tema "A utilização de biomarcadores de exposição e efeito na avaliação de risco da exposição à Metais Pesados".
 
Prof. Dr. Duílio Antero de Camargo (SP) abordou o seguinte tema: "NTEP, PCMSO e os Transtornos Mentais: aspectos diagnósticos, periciais e terapêuticos".
 
Prof. Dr. Marcos Henrique Mendanha (GO) falou sobre o tema: "Discordância quanto à aptidão laboral entre o Médico Perito do INSS e o Médico do Trabalho: sugestão de conduta".
 
 
 
Concurso para Médico do Trabalho - Senado Federal.
 
Nosso certificado de conclusão do curso de Pós-Graduação em  MEDICINA DO TRABALHO atende ao edital do concurso do Senado Federal que se realizará em 2012, sendo pré-requisito indispensável para postular uma vaga de Médico do Trabalho. A remuneração inicial é de R$ 18.440,64. 
 
 
 
Aluna do curso de Medicina do Trabalho de Goiânia/GO é pré-classificada para Médica do Trabaho no Concurso do MPU (Ministério Público da União).
 
Uma aluna do curso de Goiânia/GO foi pré-classificada no concurso para Médica do Trabalho do MPU (Ministério Público da União). Demais fases deste processo seletivo (um dos mais concorridos do país) ocorrerão nos próximos dias.
 
 
 
TIRE SUAS DÚVIDAS EM RELAÇÃO AO CURSO DE MEDICINA DO TRABALHO ATRAVÉS DO PEQUENO QUESTIONÁRIO ABAIXO:
 
 
1) Quando o médico pode exercer a Medicina do Trabalho, conforme CFM (Conselho Federal de Medicina)?

R.: Desde o momento em que esteja inscrito como médico em algum CRM.

Justificativas:
·         Lei Federal n. 3.268/1957, Art . 17: “Os médicos só poderão exercer legalmente a medicina, em qualquer de seus ramos ou especialidades, após o prévio registro de seus títulos, diplomas, certificados ou cartas no Ministério da Educação e Cultura e de sua inscrição no Conselho Regional de Medicina, sob cuja jurisdição se achar o local de sua atividade.”
 
·         Parecer CFM n. 21/2010: “O médico devidamente inscrito no Conselho Regional de Medicina está apto ao exercício legal da medicina, em qualquer de seus ramos; no entanto, só é lícito o anúncio de especialidade médica àquele que registrou seu titulo de especialista no Conselho.”

Comentário:
O próprio edital da prova de título de especialista da ANAMT (Associação Nacional de Medicina do Trabalho) de novembro / 2011, privilegia os que exercem “atividade específica de Medicina do Trabalho”. Conforme o Art. 5, parágrafo 3, deste edital, após 4 anos de exercício integral da “atividade específica de Medicina do Trabalho”, além de outros pré-requisitos, haverá a possibilidade de inscrição para realização da prova de título de especialista.
 
2) Para o CFM, o que é um especialista em Medicina do Trabalho?

R.: Médico possuidor do Título de Especialista em Medicina do Trabalho e/ou portador do certificado de conclusão em Residência Médica em Medicina do Trabalho, reconhecido pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), conforme Art. 4 da Resolução 1634/2002 do CFM. Vale lembrar que apesar do exercício permitido, o médico só poderá se divulgar como especialista em Medicina do Trabalho quando tais requisitos forem satisfeitos, conforme também coloca a Resolução 1974/2011 do CFM.
 
3) Qual o conceito de “Médico do Trabalho”, na visão do Ministério do Trabalho e Emprego?

R.: Diferentemente do conceito do CFM, para o Ministério do Trabalho e Emprego (responsável pela fiscalização das empresas através de seus auditores fiscais, conforme Art. 156 da CLT), Médico do Trabalho é o “médico portador de certificado de conclusão de curso de especialização em Medicina do Trabalho, em nível de pós-graduação, ou portador de certificado de residência médica em área de concentração em saúde do trabalhador ou denominação equivalente, reconhecida pela Comissão Nacional de Residência Médica, do Ministério da Educação, ambos ministrados por universidade ou faculdade que mantenha curso de graduação em Medicina”, conforme vigente item 4.4.1, alínea “b” da Norma Regulamentadora n. 4 (NR-4) - Portaria 3.214/78.
 
4) A pós-graduação em Medicina do Trabalho do CENBRAP é ministrada por universidade ou faculdade que mantém curso de graduação em Medicina?

R.: A pós-graduação em Medicina do Trabalho não é do CENBRAP. A pós-graduação em Medicina do Trabalho é ministrada por Instituições de Ensino Superior (universidades/faculdades) credenciadas no MEC, que manteem cursos de graduação em Medicina.  O CENBRAP é apenas um prestador de serviços de logística e operacionalização do curso de pós-graduação em Medicina do Trabalho para essas instituições. Atualmente, o CENBRAP trabalha em parceria com duas universidades/faculdades: FUNORTE (Faculdades Unidas do Norte de Minas) / ICS (Instituto de Ciências da Saúde); e UniEvangélica (Associação Educativa Evangélica).
 
5) Então, com o certificado de conclusão do curso de pós-graduação em Medicina do Trabalho ministrado, ou pela FUNORTE/ICS, ou pela UniEvangélica (parceiros do CENBRAP), serei “Médico do Trabalho” de acordo com o conceito literal trazido pela Norma Regulamentadora n. 4 (NR-4) do Ministério do Trabalho e Emprego?

R.: Sim.

6) Esse curso de pós-graduação em Medicina do Trabalho é reconhecido pelo MEC?

R.: Sim. O curso está em sintonia com a Resolução n. 01  de 08/06/2007 do MEC/CNE/CES. Importante ressaltar que somente ao MEC compete legislar sobre a legalidade de qualquer pós-graduação existente no Brasil.
 
7) E como está o mercado de trabalho em "Medicina do Trabalho"?

R.: Oportunidades não faltam. Com o advento da Copa do Mundo de 2014, das Olimpíadas de 2016, e da estabilidade econômica que vivenciamos, o Brasil está com uma enorme carência de profissionais que atuam na área de Medicina do Trabalho. Cuidar da saúde dos trabalhadores é obrigação legal de todas as empresas, não é uma mera opção. Por isso as empresas necessitam de médicos para esse fim.

Apenas para ilustrar, hoje no Brasil, são pouco mais de 20 vagas de residências em Medicina do Trabalho oferecidas por ano (um dos menores números entre as especialidades médicas reconhecidas). Com essa pequena quantidade de vagas de residência, os cursos de pós-graduação acreditados pela ANAMT (Associação Nacional de Medicina do Trabalho) surgem como uma boa opção de formação de profissionais. Mesmo assim, na região Centro-Oeste, por exemplo, mesmo apresentando uma elevada taxa de crescimento socio-econômico,  não existe nenhuma oferta de vaga disponível, nem para algum médico fazer uma residência em Medicina do Trabalho, nem para algum médico fazer um curso acreditado pela ANAMT. Nesse contexto, por ser uma obrigação legal de todas as empresas (e não uma opção): no Brasil inteiro, faltam profissionais, e sobram oportunidades.
 
8) E com o certificado de conclusão desse curso eu já poderei assinar PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), e ASO (Atestado de Saúde Ocupacional)?

R.: Sim. Para o CFM, a simples inscrição no CRM local já garante ao médico a possibilidade do exercício da medicina em qualquer um de seus ramos (inclusive na Medicina do Trabalho), conforme colocamos na questão 1 desse questionário (vide).
 
No entanto, para o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a exigência quanto aos qualificativos do "Médico do Trabalho" é diferenciada (e segue o conceito colocado na questão 3 desse questionário - vide). 
 
Com o certificado de conclusão dessa pós-graduação você também estará em sintonia com a exigência do MTE, trazida na NR-4, o que lhe permitirá assinar PCMSO, ASO, entre outros documentos, sem nenhum impedimento legal.  Vale lembrar que quem fiscaliza as empresas são os auditores fiscais do MTE, que obviamente seguem as regras trazidas pelo próprio MTE, e não regras diversas.
 
O que o CFM acertadamente condena é a publicidade médica que não obedece a Resolução 1974/2011 (resolução mais atual sobre o tema), e não o exercício médico profissional.  
 
Inclusive, muitos de nossos ex-alunos já atuam exclusivamente no exercício da Medicina do Trabalho, junto à renomadas empresas e instituições públicas (inclusive, de forma concursada), e reconhecem no nosso curso uma importante e rica fonte de aprendizado. 
 
9) Esse curso é acreditado pela ANAMT?

R.: Não, pois este curso apresenta uma carga horária menor do que aquela preconizada para acreditação pela ANAMT.
 
Vale ratificar, que  é enganoso qualquer discurso que diga que o médico, seja para o exercício da Medicina do Trabalho, seja para realizar a prova de título de especialista em Medicina do Trabalho, tenha que ter obrigatoriamente, ou conclusão de residência médica, ou conclusão de curso acreditado pela ANAMT.

Com relação ao exercício profissional da Medicina do Trabalho, valem as regras trazidas na questão 8 desse questionário (vide acima).
 
Com relação a prova de título de especialista, conforme o Art. 5, parágrafo 3, do último edital dessa mesma prova (realizada em 14/11/2011 no Rio de Janeiro/RJ), a ANAMT/AMB (Associação Médica Brasileira) também possibilitou a participação de candidatos que satisfizeram as seguintes condições simultâneas:
·         ser médico(a) formado(a) há 5 anos completos ou mais;
·         ter 4 anos de atuação em atividades específicas da Medicina do Trabalho (ex.: atuação como “médico examinador”);
·         participação em congressos, jornadas, etc.

Assim, incentivamos todos os nossos alunos a lutar pela obtenção do título de especialista conferido pela ANAMT/AMB, conforme essa possibilidade de acesso verificada no próprio edital (vide edital completo em http://www.anamt.org.br/?id_item=225&t=Associado). Acreditamos que a força associativa da ANAMT é fundamental para o fortalecimento da Medicina do Trabalho enquanto especialidade médica.
 
10) Algum aluno dessa pós-graduação já passou na prova de título de especialista em Medicina do Trabalho, conferida pela ANAMT/AMB?

R.: Sim, vários. Nossa pós-graduação em Medicina do Trabalho conta com um renomado corpo docente, membros de importantes escolas médicas, tais como USP, UNICAMP, UERJ, etc. Isso possibilita a discussão aprofundada de vários temas elencados no edital da prova de título, facilitando a aprovação do aluno.

Além disso, muitos de nossos ex-alunos já atuam exclusivamente no exercício da Medicina do Trabalho, junto à renomadas empresas e instituições públicas (inclusive, de forma concursada), e reconhecem no nosso curso uma importante e rica fonte de aprendizado.
 
11) O CFM é contra os cursos médicos de pós-graduação lato sensu?

R.: Não. Tanto assim, que muitas de nossas aulas são pontuadas pela Comissão Nacional de Acreditação (CNA) da Associação Médica Brasileira (AMB). Vale ressaltar que a AMB atua em parceria contínua com o CFM e com a ANAMT. 
 
Tanto o CFM quanto a AMB (além de outras entidades médicas) incentivam de forma contundente a educação médica continuada. Aliás, o próprio governo federal brasileiro, através do Decreto 7.602/2011 (publicado no Diário Oficial da União em 08/11/2011) é enfático no "estímulo à capacitação e educação continuada" na área de segurança e saúde do trabalhador. 
 
Lamentavelmente, poucas escolas médicas brasileiras possuem a Medicina do Trabalho em suas grades curriculares. Nesse aspecto, nosso curso de pós-graduação em Medicina do Trabalho se apresenta como um qualificado instrumento de educação médica continuada, especialmente pelo elevadíssimo nível do corpo docente que possui. 
 
O que o CFM acertadamente condena é a publicidade médica que não obedece a Resolução 1974/2011 (resolução mais atual sobre o tema), e não os cursos médicos de pós-graduação lato sensu.  Tais cursos, desde que tenham qualidade de conteúdo, sendo formas de educação médica continuada, continuarão a ser incentivados.
 
12) E quanto aos concursos?

R.: Dependerá do Edital do concurso. Os concursos dos Correios, do MPU, entre outros, poderiam ser pleiteados mediante apenas o certificado de conclusão do curso de pós-graduação em Medicina do Trabalho ministrado pela FUNORTE/ICS, ou pela UniEvangélica (parceiros do CENBRAP). Não era pré-requisito desses concursos ter o título de especialista em Medicina do Trabalho, e/ou estar registrado no CRM como especialista em Medicina do Trabalho. No entanto, nada impede que outros concursos possam exigir tais pré-requisitos.
 
13) Ainda tenho algumas dúvidas. Como faço?

R.: Nossa sugestão é que você se inscreva apenas para a primeira aula do curso. Você não estará se matriculando e tendo compromisso de cursar a pós-graduação inteira, apenas se inscrevendo para a primeira aula. Na primeira aula, TODAS as suas dúvidas (com toda clareza, fundamentação legal e honestidade) serão sanadas junto ao coordenador. Para saber como se inscrever para a primeira aula, ligue em algum de nossos telefones. Teremos imenso prazer em recebê-lo. 



Nossos telefones:
 
(91) 9207-0879 - Belém/PA
(31) 4063-7320 - Belo Horizonte/MG
(61) 4063-7319 - Brasília/DF
(19) 4062-8016 - Campinas/SP
(67) 4063-9206 - Campo Grande/MS
(21) 4063-7889 - Campos dos Goytacazes/RJ
(85) 4062-9199 - Fortaleza/CE
(62) 3255-1404 - Goiânia/GO
(31) 4063-7320 - Juiz de Fora/MG
(43) 4052-9331 - Londrina/PR
(92) 4101-0026 - Manaus/AM
(51) 4063-9707 - Porto Alegre/RS
(81) 4062-9905 - Recife/PE
(11) 4063-0844 - Ribeirão Preto/SP
(21) 4063-7889 - Rio de Janeiro/RJ
(11) 4063-0844 - São Paulo/SP
(34) 4101-2882 - Uberlândia/MG
(27) 4062-8197 - Vitória/ES


Central de Atendimento:

0300 313 1538
Belo Horizonte/MG: (31) 4063-7320 Curitiba/PR: (41) 4063-5886 Recife/PE: (81) 4062-9905
Belém/PA: (91) 9207-9879 Fortaleza/CE: (85) 4062-9199 Rio de Janeiro/RJ: (21) 4063-7889
Brasília/DF: (61) 4063-7319 Goiânia/GO: (62) 3255-1404 Salvador/BA: (71) 4062-8772
Campinas/SP: (19) 4062-8016 Londrina/PR: (43) 4052-9331 São Paulo/SP: (11) 4063-0844
Campo Grande/MS: (67) 4063-9206 Manaus/AM: (92) 4101-0026 Uberlândia/MG: (34) 4101-2882
Cuiabá/MT: (65) 4062-0802 Porto Alegre/RS: (51) 4063-9707  Vitória/ES: (27) 4062-8197
Centro Brasileiro de Pós-Graduações. Todos os Direitos Reservados.